Cor

Ipê florido,
Tanta cor cansa minhas retinas.

Filtro preto e branco

Eu ando em cinza,
Canto azul,
Falo escuro

Meu sorvete é creme,
Meu cabelo também.
Nos olhos metal
Nem mal nem bom,
Meu tom é dó

Que dó de mim não tenhas,
Pois isso revira meu estômago.
Se puder nem me olhe,
Nunca estive aqui.

True love will find you in the end

Doce musiquinha que eu escutava,
O amor verdadeiro te encontrara no final.
Não fique triste , eu sei que você ficará,
Mas no final o amor verdadeiro te encontrará.
Dizia que era preciso estar procurando
Pois o amor verdadeiro,
Ele também está a procura.
Eu encontrei algo

E o final? Quando é o final?
Ele deveria me achar no final não é mesmo?
E se ainda for cedo demais?
Eu queria que fosse o final
Há como queria,
Nós nos encontramos não é mesmo?

Agora espero de novo
Espero o final, Será que deveria
Desistir?
Não, não, não
A música me disse
Disse que para que ele me reconheça
Preciso aparecer
Estou aqui , Será que você me viu?
Será que gostaria de me encontrar outra vez?
No final quem sabe?

A procissão

As cornetas do fim do mundo acordam o palhaço
Talvez sejam o que precisa,
Perturbação.
Eterno ocioso constantemente cansado

Resigna-se,
Cala a voz pois não a tem
Desilude-se,
Sorrisos para que?
Sorrisos para quem?

“Veja, é a procissão que está passando”
Invejável,
Queria ele crer num santo.

Roxo

As olheiras em meu rosto dizem quem sou;
As olheiras em meu rosto assustam me.
Não sou o que prosperou,
Nem o que sangrou.
O que está parado lá,
O que estão a encarar,
Sou este.

Dias claros demais
Óculos escuros.
Dias pesados
Sono profundo.
Há também os que não lembro
E vou…

Bobas são as fantasias,
Do meu show não fazem parte.
Máscaras de arlequins,
Chapéus e afins.
Eu, palhaço moderno,
Visto minha própria face.

Doçura

Facil, descomplicado, bem planejado.

Não quero descaso,

Quero sorriso de verão.

Cores de carnaval,

perfume amadeirado;

Clair de Lune a embalar o bater de meu coração.

Beijos desencontrados,

Relutância em partir.

 

Na Vitrine não desfilarei mais.

Guardarei nossos momentos,

Esconderei teus segredos…

Tímida amizade,

De risonhos amantes.

 

 

 

 

Imijeyj

Eu aqui me sinto complexo,
Me sinto ridículo.
Sinto me genial, grandioso.
Terrível, odioso
Estupido, duvidoso.
Ingênuo e malicioso
Eticamente perverso,
Subverssivamente submisso.
Minúsculo, inútil,
Nada.
Horrendo, belíssimo.
Burro, fútil
Infantil.
Antipático, apático
Inteligente.
Arrogante , impotente
Imponente, indecente
Indiferente…

Solitario sempre.

 

Já não sei

Faz frio a tarde.
Sorriso quente,
Quase esqueci das preocupações.
Imaginei que tudo era lindo
E foi.
Volto a casa,
O teto desaba sobre mim.
Coma fortíssima onda
Arrasta-me pelo parquet,
Afoga me em desilusões.

 

K.

Fosse o que fosse,

Foi tudo o que havia.

Mansidão induzida,

Sutileza triste.

Nos olhos vazio,

No estômago dor;

Tantas palavras sugaram-lhe a cor.

Blog at WordPress.com.

Up ↑